Vinícola Campestre

Exclusiva, a linha de vinhos finos Zanotto é uma verdadeira relíquia de família. Os vinhos foram apresentados ao público em 2015 e neste curto tempo já coleciona premiações.

A marca tem relação direta com a vocação empreendedora da família que fundou a Vinícola Campestre e nasceu a partir do desejo dos proprietários de ter uma produção exclusiva e diferenciada de vinhos para consumo próprio.

A família Zanotto começou a elaborar vinhos finos no ano 2000. A história é acompanhada de paixão e muito trabalho. Com a experiência de produzir o Pérgola desde 1968, o vinho de mesa mais vendido no Brasil, a Vinícola Campestre investiu na pesquisa de vinhedos e solos e escolheu a cidade de Vacaria, na região gaúcha dos Campos de Cima da Serra, como local para desenvolver os vinhos finos. A região escolhida tem boa altitude e bastante amplitude térmica, porque tem dias quentes e noites amenas.

As pesquisas também identificaram que o terreno era ideal para o plantio de uvas europeias. A escolha acertada gerou um terroir específico dos Campos de Cima da Serra.

Para chegar a resultados de excelência, o empresário João Zanotto contou também com o trabalho de agrônomos e enólogos, que analisaram as melhores castas europeias para a região. A Vinícola Campestre verificou varietais em laboratório durante 10 anos (e mantém esse trabalho até hoje). Também foram plantadas dezenas de cepas até encontrar as mais prósperas, e 11 delas se adaptaram muito bem para se transformar em vinhos finos de alta qualidade.

Os lotes criados de forma artesanal e com alta tecnologia sempre oferecem o resultado perfeito da bebida. Por isso, a família Zanotto decidiu transformar, em 2015, a pequena produção de vinhos finos em um produto para o público.

Evolução

A Vinícola Campestre investe na pesquisa de varietais e na evolução constante do vinho. O clima da região dos Campos de Cima da Serra também é aliado na construção e consolidação da qualidade dos vinhos Zanotto. Em 2020, a super safra de uvas ajudou a transformar os vinhos de boutique em uma marca premiada do Brasil (são mais de 20 prêmios somente em 2020).

Hoje, todas as uvas utilizadas na produção de vinhos finos vêm de vinhedos próprios e controlados, o que confere qualidade aos produtos que vão para a garrafa. Os vinhos finos Zanotto são produzidos a partir de pequenas partilhas de vinhedos únicos. Variedades como merlot, pinot noir, sangiovese, chardonnay, sauvignon blanc, shyrah, malbec, tannat, moscato giallo estão nas videiras.

Além disso, para que o projeto tenha máxima qualidade, há controle rigoroso do solo e o uso de tecnologia de última geração, a maioria importada da Itália. Os vinhos têm breve passagem por barricas francesas e americanas, para ganhar estrutura e corpo. Têm lotes exclusivos e garrafas numeradas